quarta-feira, 22 de outubro de 2008

As doenças da nossa saúde (ler mais)

Por Manuel Pereira
Certamente que “Desabafos de um moribundo” (publicado em cidadaoangrense.blogspot.com a 22-10-2008) refere muitos aspectos desconhecidos da maioria dos terceirenses e açorianos, os quais são bem reveladores da realidade vivida na saúde, e mais concretamente no hospital de angra.
Mas não se preocupem, pois o PS está “agora” empenhado em solucionar todos os problemas da saúde.
A respeito de prevenções, o líder do CDS-PP no debate televisivo da RTP Açores, sobre as eleições regionais, também se referiu à situação da prevenção do dermatologista como sendo ilegal. Pois, não vimos qualquer indignação ou admiração por parte do presidente do governo. Desconhecia a situação? Julgamos que não.
As prevenções no hospital de angra são aliás um tema bastante incómodo para os nossos políticos, a começar pelo actual secretário dos assuntos sociais que pactua com a actual situação. A presidente do Conselho de Administração daquela unidade de saúde veio há algum tempo afirmar que a prevenção atribuída à dermatologia se destinava a compensar um aumento de consultas, uma vez que existia uma grande lista de espera. Senhora doutora, essa situação não se resolve atribuindo uma prevenção inexistente na Portaria que regulamenta essa matéria, mas sim com a contratação de pessoal médico. Quantas vagas foram abertas para dermatologia nos últimos anos? Já sei que se vai responde que não vale a pena abrir vaga pois os concursos acabam por fica deserto. Será mesmo? Quantos médicos dessa área foram contactados no sentido de prestarem serviço no hospital de angra no âmbito de legislação existente que regulamenta a prestação de serviços médicos em áreas carenciadas?
Os nossos médicos ficam muito indignados quando outros profissionais se deslocam ao hospital de angra para a realização de consultas, meios complementares de diagnóstico e terapêutica e cirurgias, nas áreas onde existem grande listas de espera. Dizem eles que os médicos de fora vêm ganhar muito dinheiro e que numa semana ganham mais do que eles durante todo o mês. A verdade é que eles numa semana produzem mais do que alguns dos médicos do hospital de angra em 2 ou 3 meses de trabalho. Por outro lado, os médicos que mais criticam essa solução são aqueles que menos produzem dentro do hospital e que têm os seus consultórios abertos cá fora à espera de quem desista de conseguir tratar-se no hospital. Alguém tem dúvidas que no caso do hospital prestar um serviço com qualidade, de uma forma organizada e dentro de um prazo aceitável, os consultórios dos senhores doutores estariam muitos deles às moscas.
Ainda a respeito do texto citado, lembramo-nos de um serviço púbico prestador de cuidados diferenciados de saúde, que também apresenta várias situações que só podem causar revolta dos cidadãos e utentes. Recompensa-se quem adivinhar:
- É o único hospital do país que têm estomatologistas no quadro. A estomatologia não é considerada em lado nenhum uma área de cuidados diferenciados hospitalares, mas sim uma área de cuidados primários (centros de saúde), prestados por médicos dentistas. Ainda por cima foi atribuída uma prevenção à estomatologia;
- Nos açores a psiquiatria só dispõe de uma prevenção porque a ex-secretária da saúde (psiquiatra) enquanto era médica do hospital de ponta delgada fez pressão juntamente com os colegas daquela área para passarem a ter também uma prevenção. A estratégia foi dar alta durante o fim-de-semana aos doentes do foro psiquiátrico que se encontravam internados em instituições particulares, e como ficavam sem medicação, as famílias acabam por os levar ao hospital. Os médicos que estavam de serviço de urgência começaram a reclamar junto das administrações que não se encontravam preparados para assistir tais doentes e que precisariam da ajuda dos colegas psiquiatras. Como estes no fim-de-semana não estavam de serviço já se está a ver o desfecho da história. - Dá-se mais uma prevenção e pronto;
- No laboratório de análises trabalham técnicas que são donas de um laboratório privado, que, por acaso, está sediado em casa do chefe do laboratório da unidade de saúde. Se fosse apenas essa a confusão não viria mal ao mundo. O problema é que várias análises efectuadas na unidade de saúde ou com reagentes e equipamento daquela são depois facturadas por aquele laboratório privado. Aqui a confusão já não é tão inocente e inócua. Esta situação já dura há tantos anos que já parece normal as técnicas do laboratório andarem para baixo e para cima levando amostras de sangue de um laboratório para o outro. Bastaria comparar-se o volume de facturação do referido laboratório privado com as aquisições de reagentes que o mesmo efectua para se verificar que as coisas não batem certo. Entretanto o chefe do laboratório já está “farto” de enriquecer e quando a coisa um dia der para o torto, já tudo terá prescrito ou andará lá perto;
- Na ortopedia (onde todos os dias 2 médicos se encontram de prevenção) o chefe daquele serviço decidiu (e todos os outros concordaram), que durante os fins-de-semana não serão feitas intervenções cirúrgicas aos doentes acidentados. É um grande incómodo não se ter um fim-de-semana descansado, em que se pode ir num instante a Lisboa fazer umas comprinhas. Então como se vai resolver a situação dos acidentados a partir das 3 da tarde de sexta-feira? Poderão esperar até à segunda-feira seguinte e para que isso funcione o bloco operatório tem que deixar sempre a segunda-feira sem marcações. Muito bem, ideia brilhante, solução ideal para todos. O pessoal do bloco agradece. Os doentes é que não devem achar o mesmo, mas enfim eles se quiserem que apresentem uma reclamação e logo se vê.
Já chega de dizer mal, vamos agora aos aspectos positivos. Vamos passar a ter consultas a tempo e horas, pois a Saudaçor, SA já adquiriu os equipamentos que vão garantir que os médicos passem a entrar no hospital às 8:00h, tal como prevê o seu horário. E mais, também não vão poder sair antes de cumprirem todas as horas de serviço. Que bom. Agora sim todos os problemas da saúde vão finalmente ter solução. Esperem lá. Sabemos que a tecnologia está cada vez mais avançada, mas qual será o equipamento que irá obrigar os médicos a estarem a dar consultas às 8 da manhã, se tantos políticos e administrações nunca o conseguiram. Será que a Saudaçor está a pensar que aquelas maquinetas que fazem a leitura das impressões digitais e onde se marca um código pessoal vão conseguir tal proeza. Que tremenda ilusão. Bem podem esquecer. De duas uma: ou as máquinas vão lá estar e até alguns médicos vão lá colocar o dedo por volta das dez e meia, onze horas, enquanto se vão rindo para o colega, sabendo que aquelas duas a três horas nunca lhe serão descontadas no ordenado, ou então à classe médica não serão aplicadas os novos normativos da assiduidade, dada a especificidade da classe. Realmente é uma classe muito especial.

2 comentários:

Anónimo disse...

Esteja descansado Sr. Cidadão que a Inspecção Regional de Saúde, criada em 1999/2000, vai actuar concerteza....


Ups....desculpa.....está só criada no papel,,,,ainda nem sequer está instalada.....também...para quê? Para o Sr. SRAS ser logo dos primeiros alvos...nahhhh

"In Vino Veritas"

Anónimo disse...

Ahhhh poisssssssssssss