sexta-feira, 9 de janeiro de 2009

Turismo dos subsídios (ler mais)

Por Luís Pedro Silva
A Direcção Regional do Turismo atribuiu cerca de 1,8 milhões de euros de subsídios em 2008 a um elevado número de colectividades, associações e promotores em nome individual que solicitaram o apoio do Governo Regional para a realização de eventos e acções nos domínios da animação turística e promoção do destino Açores.
O nome das entidades colectivas e pessoas singulares que beneficiaram com os subsídios atribuídos pelo Governo Regional foram apresentadas numa listagem oficial, de 6 de Janeiro de 2009, onde estão indicados
84 apoios concedidos durante o último ano.
Os apoios foram concedidos com base no Decreto Legislativo Regional n.º 18/2005/A de 20 de Julho, que estipula como limite máximo de apoio cem mil euros, num período de três anos, "consoante a qualidade e ou impacte promocional reconhecido à iniciativa, acção ou evento".
Na lista de iniciativas realizadas em 2008 foram atribuídas a verba máxima de cem mil euros a quatro eventos: as reconstituições históricas, promovidas por Emanuel Carreiro; o XIV Encontro Internacional de Turismo, promovido pela Comissão Organizadora do Encontro Internacional de Turismo; a Final Nacional Açores 2008 Expresso BPI Golfe Cup, promovido pela AGA - Associação de Golfe Açoriano. O último evento a receber o apoio máximo permitido por este decreto legislativo regional foi a reabilitação do passeio marginal do Clube Náutico das Lajes do Pico.
A lista de apoios apresenta ainda uma verba de 45 mil euros atribuída ao jornalista Armando Mendes, pelo projecto "Os Açores Vistos do Mar", que mostra imagens de várias espécies marinhas no fundo do mar dos Açores.
A Direcção Regional de Turismo atribuiu ainda 92 mil euros ao Clube Naval de Ponta Delgada, pela organização de festivais náuticos.
A lista contempla a realização de diversos eventos desportivos como uma etapa do Circuito Nacional de Surf (45 mil euros); o XVIII circuito de golfe e comunicação (30 mil euros) e o XII Festival Internacional de Bridge dos Açores (25 mil euros).
Os congressos e fóruns realizados nos Açores também foram subsidiados, com destaque para o congresso de profissionais de turismo, que recebeu
75 mil euros.
Na lista de eventos que receberam subsídios constam ainda diversas festas populares como a XXIV Edição do Festival Maré de Agosto (33 mil euros); Festa do Senhor Santo Cristo dos Milagres (28 mil euros); X Festival Internacional de Jazz de Angra (25 mil euros); XXIV Festival Internacional de Folclore (25 mil euros); Festival Transatlântico Rock
(25 mil euros); Baía do Rock (20 mil euros); 2º Festival Maia Folk (15 mil euros); Festas do Senhor Bom Jesus da Pedra (15 mil euros); XIX Festa do Chicharro (13 mil euros); XX Festa do Chicharro (10 mil
euros) e Festa do Espírito Santo da Casa do Triângulo (7,5 mil euros).

4 comentários:

Manuel Pereira disse...

Para o turismo nos Açores, é muito importante que certos jornalistas possam ir de vez em quando ao fundo do mar brincar com os peixinhos, na condição de se passarem a "portar bem" depois da "brincadeira".

Anónimo disse...

O anterior comentário (deixado por Manuel Pereira) revela uma visão profundamente distorcida da realidade. Qualquer profissional, desde que tenha as competências para isso poderá levar a cabo os projectos que entender sem que ninguém tenha nada a ver com isso. É indecente a tentativa de ligação que se faz entre o jornalismo e o poder político. O Governo nunca tentou calar a voz de ninguém pagando subsídios. Isso é pura ilusão.

Manuel Pereira disse...

Oh! Senhor Armando Mendes eu posso respeitar muito a competência técnica que diz ter para fazer trabalhos com subsídios do Governo. Mas por mais que o senhor diga o contrário o trabalho que faz é sempre influenciado pelo dinheirinho que recebe. Nisso nem o senhor nem ninguém é diferente de todos os outros. A tentativa de negar essa evidência deixa-nos sempre com a pulga atrás da orelha.

Anónimo disse...

magnifico o poder de discussao baseado na ilusao de palavras!Quem sois vós para elevar tributos ou invejas do que nao foi nem é assunto bem gerido?